Luiz Lua Gonzaga
Forró Pé de Serra


A noite no Pirata começa com jeitinho de sertão, na puxada gostosa do legítimo forró pé-de-serra, a
chinela arrastando no salão e a sanfona comendo solta!

Reunidos em família, os irmãos Chiquinho e Antônio César, acompanhados no violão pelo pai,
começaram a ensaiar algumas notas numa velha sanfona emprestada. Brincando com os acordes,
tomaram gosto pela música. Em 1998, tocando o típico forró pé-de-serra, estrearam nas aberturas das
noites de segunda-feira do Pirata Bar, ao lado do sanfoneiro Azeitona.

Em 1999, fixaram-se com o nome “Forró Pé-de-Chinelo”. Com a vinda de João Ivan na sanfona,
Canindé no zabumba e a cantora Flor, consolidou-se, enfim, a sua formação. A entrada do músico
Canindé no zabumba deu a Leandro Campos liberdade para assumir a função de líder vocal da banda.

Hoje, a Pé-de-Chinelo é referência no forró pé-de-serra do Ceará. Além de esquentar as noites do
Pirata Bar, o Forró Pé de Chinelo desponta em várias casas de forró produzindo um gostoso arrasta-pé
ao som da sanfona, zabumba e triângulo, como manda o figurino do tradicional forró nordestino.

Para quem quer dar os primeiros passos nas danças que são a cara do Nordeste, durante o show da
Pé-de-Chinelo os dançarinos do Pirata estão à disposição para ensinar, no salão, a puxadinha do
xaxado, a manha do baião e a malemolência do xote. E as horas vão passando... Quem está fora, quer
entrar. Quem está dentro, não quer saber de sair!


“Meu amor não vá simbora, não vá simbora
Fique mais um bocadinho...
Se você for seu nego chora!
Vamos dançar mais um tiquinho...
Quando eu entro numa farra, num quero sair mais não
Vou inté quebrar a barra, e pegar o sol com a mão!”**

** “Forró no Escuro”, de Luiz Gonzaga" **